terça-feira, dezembro 28, 2010

Quando um corpo estranho (geralmente alimento ou líquido) “entala” na garganta ou passa através da glote para a traquéia, vem a sensação de sufocação, com dor local e reflexo da tosse que tenta desalojar o corpo estranho e desobstruir as vias aéreas.

Este processo agudo é chamado de “engasgo”, e constitue um emergência que deve ser tratada imediatamente sob a pena de levar a uma parada respiratório e mesmo o óbito.
O ato de deglutir (engolir) envolve três fases, a primeira, voluntária, quando a língua impulsiona os sólidos e líquidos para dentro da garganta; as outras duas fases são involuntárias e mais complexas. O ato de deglutir evita que partículas sólidas ou líquidas penetrem, pela glote, nos pulmões.
Em idosos, a incidência de alterações de deglutição é grande e aparece como um sintoma de doenças tais como o acidente vascular cerebral (AVC), Doença de Parkinson, Doença de Alzheimeir, que, freqüentemente, acometem essa população. Além disso, há um envelhecimento das estruturas que envolvem a deglutição, porém, apesar dessas mudanças, não há comprometimento na efetividade ou na segurança da deglutição em idosos saudáveis, que ocasionariam o engasgo com saliva e/ou alimento nessa população.

Como vimos existem várias doenças que, por alteração anatômica ou alteração da inervação da garganta, aumentam a possibilidade de engasgos, mas as pessoas podem engasgar-se sem que haja qualquer comprometimento, somente por pressa ao engolir, próteses dentárias inadequadas, excessos alimentares ou de líquidos na boca ou ainda ansiedade.
Engasgo
manobra de Heimlich é o melhor método pré-hospitalar de eliminar a obstrução das vias aéreas superiores causada por corpo estranho. Essa manobra foi descrita pela primeira vez por Henry Heimlich em 1974 e induz uma tosse artificial, que deve expelir o objeto da traquéia da vítima. Resumidamente, uma pessoa fazendo a manobra usa as mãos para fazer pressão sobre final do diafragma. Isso comprimirá os pulmões e fará pressão sobre qualquer objeto estranho na traqueia.
Método – Posicione-se atrás da vítima, cerre o punho e o posicione com o polegar para dentro entre o umbigo e o osso esterno. Com a outra mão, segure o seu punho e puxe ambas as mãos na sua direção, com um rápido empurrão para cima e para dentro a partir dos cotovelos. Você deve comprimir a parte superior do abdômen contra a base dos pulmões, para expulsar o ar que ainda resta e forçar a eliminação do bloqueio. Repita por cinco vezes. Cada empurrão deve ser vigoroso o suficiente para deslocar o bloqueio.
Os idosos de uma forma geral, principalmente os intitucionalizados e os portadores de doenças neurológicas e degenerativas acidente vascular cerebral (AVC), Doença de Parkinson, Doença de Alzheimeir) devem ser avaliados por fonoaudiólogos (profissionais que atuam nos transtornos da deglutição) e dentistas, visando não somente um enfoque normalizador das estruturas da deglutição, mas também transmitindo a sensação de segurança ao idoso, que o desconfortável episódio de engasgo não mais ocorrerá.
Referência:
Rozenfeld M, Friedman S – A percepção subjetiva do engasgo em pessoas idosas. RBCEH – Revista Brasileira de Ciências do Envelhecimento Humano, Passo Fundo

terça-feira, dezembro 21, 2010

Empréstimo: Camas hospitalares e cadeiras de rodas. Divulguem!
Gratuito e EM TODO BRASIL!
Um ser humano muito especial, chamado Aroldo Mendonça, integrante do Rotary Clube, formou um banco de leitos hospitalares e cadeiras de rodas e os empresta, sem cobrar nada, só pedindo em troca a sua devolução, quando não é mais necessária.
Ele é um anjo da guarda para muita gente.
Atualmente, o banco, conta com mais de 600 leitos espalhados por todo o Brasil, já que o Sr. Aroldo conserta e aceita doações das camas hospitalares e cadeiras de roda, mesmo quebradas, ele retira no local e leva para a sua oficina que é especializada nesse tipo de conserto; As doações são as propulsoras dos empréstimos e ajudam a mais e mais pessoas, todos os dias e em todos os pontos do país, sem pedir nada em troca.
O frete dos empréstimos fica por conta da pessoa interessada que faz uma espécie de contrato com o Sr. Aroldo por seis meses, sendo renovável por mais tempo, mediante a necessidade do prolongamento do uso do equipamento.
Caso precise, ligue para o Sr. Aroldo Mendonça: (21) 2266-2501 (21) 2266-2501 ou (21) 9636-8000 (21) 9636-8000
Vale divulgar, não é mesmo?
Passe para sua lista de contatos, de modo a chegar a quem precisa. Se alguém conhecer pessoas ligadas a hospitais divulguem também. Acredito que se você não precisa e pode ajudar, vai aí uma ótima causa!
VALE LEMBRAR QUE SE VC TIVER CAMAS OU CADEIRAS QUE NAO USE MAIS, TAMBEM PODE AJUDAR, DOE!